EN | PT

Segunda etapa do PIPC – Programa de Investimento no Produtor Consciente é realizada com sucesso pelo Consórcio Cerrado das Águas

Iniciativa promoveu diálogos com produtor sobre as melhores práticas para conservação dos recursos naturais e mitigação aos efeitos climáticos por meio de conhecimento e atendimento personalizado de cada propriedade.

Patrocínio-MG, setembro de 2020.
O Consórcio Cerrado das Águas (CCA) realizou em Patrocínio, entre os dias 11 a 18 de setembro, a segunda etapa do PIPC – Programa de Investimento no Produtor Consciente.

Iniciada na data em que se comemora o dia do Cerrado, 11 de setembro, o objetivo da iniciativa foi apresentar ao produtor da bacia do córrego Feio, o PIP – Plano Individual de Propriedade, e alinhar, com cada um, a melhor forma de implementar as estratégias propostas pela equipe de especialistas do CCA, de forma conjunta. A oficina aconteceu no Centro de Excelência do Café (CEC) com atendimentos presenciais e individuais a cada produtor, seguindo todas as medidas de proteção e combate à Covid-19 pela equipe especialista do CCA devidamente treinada e orientada para seguir as normas de conduta protetiva neste tempo de pandemia.

Atendimentos realizados com sucesso
A primeira etapa do PIPC foi realizada de forma conjunta e, mesmo diante do desafio de ajustar este segundo ciclo de acordo com o cenário atual, os resultados foram satisfatórios, como avalia Fabiane Sebaio, secretária executiva do CCA.

“Tivemos o grande desafio de realizar o trabalho com os produtores de forma individual.
Nossa metodologia prevê uma oficina coletiva para acordo e discussão entre os produtores, no entanto, devido à pandemia, tivemos que fazer atendimentos individualizados dos produtores, mas o resultado foi avaliado como de sucesso, pois os produtores tiveram um tempo de melhor qualidade junto com a equipe para discutir detalhadamente o projeto”, relata Fabiane.

A quantidade de produtores participantes na iniciativa também é fator de mensuração de alcance de objetivos. De acordo com Fabiane, a propriedade da bacia do córrego Feio tem cerca de 70 proprietários e houve a adesão de mais de 60%, resultados que a equipe do CCA vincula ao conhecimento e entendimento da importância do trabalho que tem sido desenvolvido, bem como de sua importância.

“No primeiro ciclo do PIPC, os produtores ainda não conheciam com profundidade a proposta do CCA e, por isso, demonstravam desconfiança quanto aos objetivos. À medida que fomos desenvolvendo o trabalho conjunto, a metodologia ficou mais clara, bem como os benefícios já podem ser sentidos. Assim, nesta segunda etapa o diálogo foi facilitado, pois muitos compreendem e conhecem nossos objetivos, apoiando nossa forma de trabalhar, tanto que, para nossa surpresa, nesta etapa, tivemos a oferta de áreas a serem manejadas pelos produtores e a contrapartida também foi bem melhor”, conta a secretária executiva.

Sustentabilidade movida por produtores
O sucesso da iniciativa também pode ser medido pela satisfação do produtor em integrar a iniciativa. A produtora rural, Ilda de Fátima Castro Matos, aderiu ao PIPC no início de 2020, participando desta segunda etapa de forma ativa, a qual avalia o programa como extremamente importante, sendo hoje uma incentivadora da iniciativa aos vizinhos, pois, segundo ela que reside na área da bacia do Córrego há 15 anos, é perceptível a diminuição
da vegetação e acredita que é dever do produtor cuidar para que produção caminhe de forma harmônica com os recursos naturais.

“Minha propriedade está mudando muito depois que passamos a participar do CCA e aderimos ao PIPC, e sei que muitas mudanças ainda vão surgir. É possível ver a diferença de quando nos atentamos para a preservação em tempos passados e agora com o apoio do CCA. Sabemos que precisamos e podemos fazer muito pela preservação, o que nem sempre conseguimos, mas com o apoio e o trabalho conjunto é possível. Hoje eu entro em contato com meus vizinhos e conto o quanto a iniciativa é importante, na tentativa de inserir aqueles que ainda não fazem parte. Sou muito satisfeita por integrar o CCA, porque me apoia e me ajuda nas ações de preservação”, conta a produtora.

Próximos passos
Com o encerramento da segunda etapa do PIPC, uma nova fase tem início pela equipe de especialistas do CCA, na qual é construído o planejamento para implementação das ações que foram avaliadas junto aos produtores. Esta fase contempla um plano para contratação de mão de obra, cronograma de atuação, compra de insumos, entre outros assuntos que contemplam o PIP – Plano Individual de Propriedade, elaborado com base nas
necessidades de cada fazenda com foco na preservação ambiental e inibição dos efeitos climáticos.

Sobre o Consórcio Cerrado das Águas
Criado em 2014, em Patrocínio – MG, o Consórcio Cerrado das Águas tem como objetivo conscientizar produtores da região sobre a importância de seus ativos ambientais por meio do diagnóstico e investimento nos mesmos, garantindo sua preservação a longo prazo.

Em 2019, o projeto piloto recebeu do Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos (CEPF) o valor de US$400 mil para implementar o programa que irá promover, inicialmente, o investimento e a proteção dos ecossistemas naturais encontrados em mais de 100 propriedades ao longo da bacia do Córrego Feio. A quantia é o maior subsídio já concedido pelo CEPF, que conta com exigentes doadores como a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), União Europeia, Fundo Mundial para o Ambiente (GEF), Governo do Japão e Banco Mundial.

Imagens: Produtor e equipe especialista do Consórcio Cerrado das Águas em
atendimento da segunda etapa do PIPC – Programa de Investimento no Produtor
Consciente.

Créditos imagem: Arquivo CCA