EN | PT

Daterra e Consórcio Cerrado das Águas estabelecem parceria para plantio de 30 mil mudas

 

Por meio do Tree-llion Project, empresa referência em produção sustentável de cafés, apoia a plataforma colaborativa do Consórcio Cerrado das Águas (CCA)

Patrocínio-MG, junho de 2021. No mês de junho a Daterra Coffee, empresa referência em produção sustentável e exportação de cafés, que atua no mercado desde 1976, firmou parceria com o Consórcio Cerrado das Águas (CCA) para realizarem uma ação conjunta. Por meio do Tree-llion Project, a Daterra fará o repasse de 30 mil mudas de árvores nativas do Cerrado.

Com este projeto, a Daterra tem como meta plantar até 2030, três milhões de árvores, contribuindo com a meta lançada pelo Fórum Econômico Mundial de que o planeta precisa plantar 1 trilhão de árvores, assim, a empresa deseja contribuir com este número e tem buscado parceiros para tornar este desafio conjunto, sendo o CCA um dos escolhidos.

De acordo com a Daterra, o Tree-llion Project, divulgará, em breve, em sua plataforma digital, todos os parceiros e o esforço de plantio de árvores.

A empresa é uma das pioneiras na cafeicultura sustentável e coleciona conquistas, sendo a primeira fazenda de café certificada pela Rainforest Alliance do Brasil; Modelo de Fazenda Sustentável, pela Illy Café em 2008, primeira fazenda a ser verificada como Amiga do Clima pelo Módulo Clima, da Rede de Agricultura Sustentável (SAN) na América do Sul e vencedora do “Prêmio Fazenda Sustentável 2015” da Revista Globo Rural, sendo considerada a fazenda mais sustentável do Brasil.

A parceria fortalece o trabalho do CCA na construção de paisagens produtivas sustentáveis e na formação de corredores ecológicos na Região do Cerrado Mineiro. “Esta parceria amplia nossa plataforma colaborativa e nossa atuação por uma agricultura climaticamente inteligente. As 30 mil mudas serão destinadas às regiões das bacias hidrográficas em que temos desenvolvido nossa atuação, demonstrando que, por meio da união, podemos, sim, nos tornar mais resilientes aos efeitos climáticos. Agradecemos à Daterra por aceitar fazer parte desse esforço conjunto de trazer segurança climática dos produtores da Região do Cerrado Mineiro e por nos incluir como um reforço de sua meta”, enfatiza Fabiane Sebaio, secretária executiva do CCA.

Dinâmica agregadora e inclusiva

O grande diferencial do CCA é sua capacidade de estabelecer uma parceria que vai além de agregar os setores: empresas, comunidade e poder público, mas também de ser totalmente inclusiva, entendendo as necessidades dos cafeicultores e auxiliando-os a pensar e executar ações de acordo com suas possibilidades.

Com o PIPC – Programa de Investimento no Produtor Consciente, o CCA encontrou o caminho para oferecer serviços especializados para o desenvolvimento ambiental das propriedades da bacia do Córrego Feio em Patrocínio, projeto-piloto, em três frentes: restauração, práticas agrícolas climaticamente inteligentes e gestão eficiente dos recursos hídricos. Assim, aderindo a este Programa, o produtor recebe o PIP – Plano Individual de Propriedade, elaborado pela equipe técnica e especialista do CCA para cada produtor implementar as estratégias específicas de sua fazenda, alinhadas ao grande objetivo da plataforma que é resiliência climática da produção. 

Em fase de expansão, o CCA levará para outros municípios da Região do Cerrado Mineiro a sua metodologia, sendo Serra do Salitre o primeiro da lista, cuja expansão já está acontecendo. A equipe do CCA espera resultados positivos e semelhantes ao do projeto-piloto em que foram 319 visitas a produtores, 94 planos individuais de propriedade; implementação em 57 propriedades, restauração 100% orgânica e 96 hectares conservados.

Sobre o Consórcio Cerrado das Águas 

Criado em 2015, em Patrocínio – MG, o Consórcio Cerrado das Águas tem como objetivo conscientizar produtores da região sobre a importância de seus ativos ambientais por meio do diagnóstico e investimento nos mesmos, garantindo sua preservação a longo prazo. A iniciativa possui como membros associados, empresas ligadas à cafeicultura, com atuação nacional e internacional, bem como apoiadores do mesmo segmento e também do terceiro setor. As empresas seguem relacionadas em nosso site. 

Em 2019, o projeto piloto recebeu do Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos (CEPF) o valor de US$400 mil para implementar o programa que irá promover, inicialmente, o investimento e a proteção dos ecossistemas naturais encontrados em mais de 100 propriedades ao longo da bacia do Córrego Feio. A quantia é o maior subsídio já concedido pelo CEPF, que conta com exigentes doadores como a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), União Europeia, Fundo Mundial para o Ambiente (GEF), Governo do Japão e Banco Mundial. 

Saiba mais acessando: www.cerradodasaguas.org.br